Boteco que se chama boteco não é boteco


Este texto do Marcio Vieira resume o conceito de “buteco” (com U mesmo), que tento explicar nas aulas de Projeto de Restaurantes e Bares na pós-graduação.

Pegadas da Marcha

A primeira regra na vida de qualquer ser humano, na forma adulta, é entender que “Boteco que se chama Boteco não é boteco.”

Boteco é uma palavra tão grandiosa que, correto também está escrever buteco, com “u” mesmo. Porém, há cerca de uma década e meia começaram a elitizar uma das palavras mais populares da língua portuguesa, transformando-a em locais onde a nobreza quer ser espartana, onde colocam seus i-phones sobre a mesa de madeira da Bohemia, onde penduram na cadeira bolsas que custam ao menos quatro dígitos antes da vírgula e discutem sobre a diferença de preços do Brasil com relação aos outlets estadunidenses.

Botecos que se chamam botecos são obrigados a ter picanha no aquecedor francês, uma boa variedade de queijos alpinos e frutos do mar dourados, sem esquecer, obviamente, daquele chopp cremoso com metade do copo só de espuma custando a bagatela de 6 reais.

Ver o post original 470 mais palavras

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s