A FERIDA NO CORAÇÃO DE UM PATRIMÔNIO MUNDIAL.


URBANISTAS POR BRASÍLIA

Em 2009 a população de Brasília se levantou contra o Mestre. Em um momento de união pela cidade, arquitetos e urbanistas, população local e a então presidência do IPHAN/DF se manifestaram contra o projeto de Oscar Niemeyer intitulado “Praça da Soberania”, localizada entre o Teatro Nacional e o Conjunto Cultural da República e em frente à Rodoviária.

O polêmico projeto previa um prédio para o “Memorial dos Presidentes da República do Brasil” e um grande obelisco com 100 metros de altura que impediria a visão livre da Esplanada dos Ministérios a partir da Rodoviária – visão livre que por sinal Lucio Costa queria desimpedida desde a concepção do Plano Piloto. Além disso o projeto incluía também um estacionamento subterrâneo para três mil carros.

Em enquete realizada à época pelo site do Correio Brasiliense, mais de 70% dos internautas foram contra a obra e em seguida uma onda de protestos tomou conta de Brasília. “Foi a…

Ver o post original 1.113 mais palavras

Um comentário sobre “A FERIDA NO CORAÇÃO DE UM PATRIMÔNIO MUNDIAL.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s